PROS Multiculturalismo: Negros são minoria nas Eleições 2016

Todos nós sabemos que a escravidão no Brasil deixou graves consequências para a população negra. Mesmo com a abolição, os negros não tiveram seus direitos sociais e de cidadania reconhecidos, sendo inseridos em um contexto social majoritariamente racista, sendo estigmatizados pela cor da pele e considerados inferiores.

Já que não tinham seus direitos sociais e de cidadania reconhecidos, também foram excluídos da política. Essa exclusão perdura até os dias atuais, já que a política brasileira, desde seus primórdios, foi protagonizada por brancos.

Para se ter uma ideia, dados divulgados pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral revelam que apenas 8,65% (42.524) dos candidatos nas Eleições de 2016 se declararam negros. Cerca de 51% dos candidatos (253.122) afirmaram ser brancos e 39,10% (192.292) pardos.

O estado que mais possui candidatos que se declararam negros é a Bahia com 15,66% do total, seguida pelo Rio de Janeiro com 14,34% e Maranhão com 11,79%. Já os estados que possuem menos candidatos que afirmaram serem negros são: Santa Catarina (2,74%), Amazonas (4,06%) e Ceará (4,86%).

São números que não se coadunam com a realidade brasileira, já que, segundo o IBGE, os negros e mestiços representam mais de 50% da população.

Precisamos mudar este senário. Acreditamos que enquanto não houver uma política nacional que garanta o espaço de negros no parlamento, dificilmente essa lacuna será suprida.

Secretário Nacional de Multiculturalismo e Igualdade Racial – Edmilson Boa Morte

Share This: